Por que ser contra a Revolução?

Se a Revolução é a desordem, a Contra-Revolução é a restauração da ordem. E por ordem entendemos, a paz de Cristo no Reino de Cristo. Ou seja, a Civilização Cristã, austera e hierárquica, fundamentalmente sacral, anti-igualitária e anti-liberal.
Dr. Plínio Corrêa de Oliveira

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Instrumentum Laboris do sínodo de outubro

Foi publicado recentemente no site do Vaticano o "Instrumento de Trabalho" quer servirá de base ao sínodo da família a ser realizado em outubro próximo. Conforme esperado, além de maior tolerância para com o vício, o Instrumentum Laboris propõe claramente a comunhão para os divorciados e recasados após um período de penitência e acompanhamento.
Não sei se o documento terá tradução oficial para o português, mas sua página oficial está aqui. O texto italiano pode ser facilmente entendido ou então traduzido com o google.

"Per affrontare la tematica suddetta, c’è un comune accordo sulla ipotesi di un itinerario di riconciliazione o via penitenziale, sotto l’autorità del Vescovo, per i fedeli divorziati risposati civilmente, che si trovano in situazione di convivenza irreversibile. In riferimento a Familiaris Consortio 84, si suggerisce un percorso di presa di coscienza del fallimento e delle ferite da esso prodotte, con pentimento, verifica dell’eventuale nullità del matrimonio, impegno alla comunione spirituale e decisione di vivere in continenza.

Altri, per via penitenziale intendono un processo di chiarificazione e di nuovo orientamento, dopo il fallimento vissuto, accompagnato da un presbitero a ciò deputato. Questo processo dovrebbe condurre l’interessato a un giudizio onesto sulla propria condizione, in cui anche lo stesso presbitero possa maturare una sua valutazione per poter far uso della potestà di legare e di sciogliere in modo adeguato alla situazione.
"

É impossível dizer se estes parágrafos permanecerão como estão, por mal de nossos pecados, ou se, por misericórdia de Deus, serão alterados no documento definitivo. Mas creio que é possível dizer que não fariam parte do Instrumentum Laboris caso não contassem com a aprovação de S.S. Francisco.

Enquanto os EUA e a Irlanda ardem (o Brasil já ardeu), Sua Santidade adverte o mundo sobre os perigos de se deixar o ar condicionado ligado.

A acrasia dos conservadores

Acrasia, palavra cunhada por Aristóteles, significa falta de vontade. É a situação daqueles conservadores que sabem o que é certo, mas perderam a vontade, estão cansados. Vitimados pelo politicamente correto acham preferível atacar quem trás más notícias (na verdade, um chamado ao combate) do que reconhecer o fracasso do conservadorismo meia-medida. Um exemplo típico pode ser visto na figura abaixo.

Diante da denúncia do branqueamento da pedofilia, algo inevitável uma vez legalizado o pseudo-casamento gay, um leitor indignado, provavelmente um bom conservador, daqueles que é contra isso e contra aquilo, mas jamais fala mal de bispos e padres, disparou contra o autor da denúncia. Faria melhor em disparar sua compreensível indignação contra a Universidade de Cambridge por abrigar tal conferência.

Fonte: blog Algol Minima


terça-feira, 30 de junho de 2015

Ideologia de Gênero: Não em Lavras!

Felizmente, os vereadores lavrenses disseram NÃO à imposição da Ideologia de Gênero em nossas escolas. Contudo, a ofensiva anti-família continua forte em outros países. Embora o Vaticano tenha estado misteriosamente silencioso, milhares de famílias italianas têm ido à rua defender os valores tradicionais da família católica.

Não tenham ilusões. O que está em jogo é a sodomização de nossos filhos e netos.

O artigo abaixo foi tirado do blog Valores Inegociáveis.

Itália: pais e mães indignados
contra o ensinamento da “Ideologia de gênero”

Monumental manifestação em prol da família tradicional em Roma
recusa o ensinamento da Ideologia de Gênero nas escolas


Segundo a agência de notícias “France-Presse”, na data em que na Itália se comemora o “Dia da Família” (20 de junho), cerca de 500 mil pessoas participaram em Roma de uma gigantesca manifestação contra o “casamento” homossexual e a introdução da absurda "Ideologia de Gênero" nas escolas — projetos em discussão no Parlamento italiano.

Já de acordo com os matutinos “Il Giornale” (20-6-15) de Roma e “Le Monde” (21-6-15) de Paris, o total de participantes teria chegado a 1 milhão.

Apesar da chuva, a praça San Giovanni in Laterano, nas proximidades do centro histórico de Roma, bem como as ruas adjacentes, ficaram repletas de pais e mães com seus filhos, mas também de jovens e idosos.

Defendiam eles os valores da instituição familiar, bradavam e portavam faixas com dizeres “Não à Teoria de Gênero”, “Sim à Família tradicional”, “A família salvará o mundo”, “Vamos defender nossas crianças”, “Tirem as mãos de nossos filhos” etc.

Os pais italianos estão indignados, pois, contra o desejo deles, em muitas escolas do país o movimento pró-homossexual está infiltrando sua “agenda” para (de)formar as mentes dos pequenos a seu favor.

Organizados pela rede Defendendo Nossos Filhos, diversos movimentos participaram desse evento pró-família que, apesar de gigantesco, passou praticamente ignorado da mídia brasileira. Inexplicável!

Sem dúvida, essa espetacular manifestação das famílias italianas serve de claro e potente recado aos bispos que participarão do “Sínodo da Família” em outubro próximo em Roma.

Tal recado foi:

Senhores bispos, não queremos que se altere a doutrina nem a pastoral tradicionais da Igreja a respeito da instituição familiar, estabelecida por Deus como a união entre um homem e uma mulher num matrimônio monogâmico e indissolúvel. Não se pode legalizar o “casamento” homossexual; não se pode autorizar a adoção de crianças por parte de duplas homossexuais; não desejamos que se permita a comunhão eucarística a divorciados; não permitiremos que se ensine a nossos filhos a antinatural Ideologia de Gênero!
Essa monumental reação é um belo exemplo para o Brasil, pois também em muitas de nossas escolas — de modo sorrateiro, sem aprovação e sequer o conhecimento dos pais — as crianças já estão sendo “doutrinadas” por tais absurdas teorias, contrárias à Lei natural e à Lei divina e sem qualquer fundamento científico.

Pais e mães devem estar alertas e procurar tomar conhecimento do que os “ideólogos de gênero” andam introduzindo nas escolas de seus filhos.

Essa nefasta ideologia ensina, por exemplo, que é subjetivo e apenas cultural o conceito de homem ou mulher, pai e mãe, masculino e feminino, e que cada criança deve escolher o seu próprio “gênero”, entre eles os “gêneros” homossexual, bissexual, transexual...

Ou seja, trata-se de um ensinamento absurdo que, além de confundir as mentes dos escolares, poderá perverter nossas crianças na mais tenra infância.

Nesse sentido, é elucidativo o editorial da “Gazeta do Povo” (21-6-15), o mais importante jornal do Paraná, que sob o título Educação e teoria de gênero, escreve:

“Observa-se uma tentativa de impor aos estudantes teorias controversas e carentes de fundamentação científica”. O mesmo editorial denuncia:  
Em 2014, quando o Congresso Nacional votou o Plano Nacional de Educação, a presença da teoria de gênero foi refutada pelos congressistas, também após intensos debates e pressão popular [...]. Mas o que tem havido é uma pressão do Ministério da Educação para que os responsáveis pelos planos estaduais e municipais contemplem o que foi rejeitado no Congresso — isso, sim, constitui um desrespeito ao Legislativo federal e uma forma inaceitável de ‘virada de mesa’”.
Mas, graças a Deus, as sadias reações vêm crescendo cada vez mais de norte a sul do Brasil. Sobretudo por parte de pais e mães que não aceitam a imposição do ensinamento a seus filhos dessas teorias contrárias à natureza humana.

Até o momento em que encerro este artigo, a Ideologia de Gênero já foi excluída em oito estados da Federação.

É o que noticia a “Folha de S. Paulo” (25-6-15):  
“Deputados de ao menos oito Estados retiraram dos Planos Estaduais de Educação referências a identidade de gênero e orientação sexual”.

Não à "ideologia de gênero" na escola
Para a obtenção desses bons resultados, os pais estão pressionando os deputados e os vereadores, pois a inclusão da Ideologia de Gênero destruiria o modelo tradicional de família (o único de acordo com a ordem natural), em cujo seio as crianças devem receber a devida e prudente orientação sexual e moral.

Para os pais, tal orientação cabe a eles e não a estabelecimentos públicos. Numa sala de aula a criança seria pressionada a aceitar o absurdo e não teria capacidade crítica para analisar o tema.

A rendição do arcebispo

Não, não é em São Paulo. Aliás, D. Odilo Scherer, justiça lhe seja feita, deu esta semana uma bela resposta à carta aberta da Marilena Chauí que o acusou de censura (leia o caso aqui).

É nos EUA.

Trata-se de Dom Blase Cupich, Arcebispo de Chicago, nomeado para esta importante diocese pelo Papa Francisco. Dom Blase Cupich, em carta pastoral, capitulou incondicionalmente aos ativistas do vício. Conforme descrito em sua carta, a arquidiocese de Chicago não mais combaterá a sodomia. Pelo contrário, o pecado será doravante respeitado por todo os católicos. Bandeiras, armas e bagagens serão entregues pessoalmente pelo Arcebispo de Chicago ao Inimigo vencedor. As ovelhas que se salvem como puderem pois já não há mais pastores. São todos lobos. A vergonhosa carta de D. Blase Cupich pode ser lida abaixo. Mais informações no blog Rorate Caeli.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Dom Quixote cansado e o círculo quadrado


Infelizmente, tenho notado um certo cansaço na blogsfera católica. Aqueles blogs dinâmicos que nos presenteavam regularmente com postagens interessantes tornaram-se raros. Entendo que parte da explicação esteja num cansaço natural e outra parte na migração dos autores para outras paragens (facebook, por exemplo). Compreensível num caso e desejável no outro.

No entanto, percebo também um "Efeito Bergoglio", um cansaço em defender a Igreja, pois muitos pastores parecem simplesmente não estar mais interessados em afastar os lobos. Quem primeiro desistiu do bom combate foram justamente aqueles que mais deviam nos animar no combate. Acompanhe-se por exemplo o escândalo do Pe. Paulo Sérgio Bezerra, de Itaquera-SP (aqui e aqui) e a pífia resposta da hierarquia até o momento (aqui).


Sendo assim, não há salvação para a blogsfera católica que não inclua um compromisso autêntico com a Verdade, passando ao largo, se preciso for, do respeito humano por hierarcas acráticos. Do contrário, seremos dominados pela fatiga inerente aos que se dedicam a provar a quadratura do círculo, tarefa mais própria de Dom Quixotes do que de cavaleiros cruzados. Para perseguir moinhos de vento já bastam as esquerdas.


A verdadeira missa afro


Já assistimos aqui em Lavras a um lamentável espetáculo de uma suposta missa afro. Na verdade, as missas chamadas "afro" no Brasil são uma caricatura degradante da cultura africana. Os organizadores das missas afro, certamente bem intencionados, mas certamente preconceituosos, incorrem em estereótipos que apenas fortalecem posições paternalistas. As fotos no link abaixo mostram como a Santa Missa missa é rezada na África. Esta sim é a missa afro que gostaria de ver rezada em Lavras.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Quem converteu quem?

S.S. Francisco e Raul Castro, presidente comunista de Cuba

Conforme amplamente noticiado, o presidente cubano declarou que já leu e ouviu muito sobre o Papa Francisco e que se ele, Francisco, continuar "assim" ele, Raul Castro, retornará à Igreja. Raul Castro, o irmão mais jovem de Fidel, não explicitou o que quis dizer com "assim" (em outra tradução: "nesse veio"), mas não é difícil deduzir. Afinal, Raul Castro declarou também que sempre estudou em escolas jesuítas, o que explicaria muito.

Como fica patente que Raul Castro não deixou de ser comunista, ficamos por saber quem converteu a quem.